Incidente e queda de Ton Kawakami permitem ao piloto goiano conquistar o título com quinto lugar na pista de Curitiba

 

Texto: Divulgação/Moto 1000 GP
Fotos: Luciano Sampaio/Fotografia Sampafotos e Equipe Sanderson

 

Tida como a categoria de disputas mais equilibradas do Moto 1000 GP, a GPR 250 teve neste domingo (29), no Autódromo Internacional de Curitiba, a decisão de título mais acirrada de sua história. Brian David, piloto goiano da Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, conquistou o título da série de formação do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade a partir de sua quinta colocação no GP Lubrax, oitava e última etapa da temporada de 2015.

Vencedor de quatro etapas no ano, David permitiu-se abdicar da disputa pelo primeiro lugar nas voltas finais da corrida a partir da queda sofrida por Ton Kawakami, da Playstation-PRT, com quem disputava o título. A vitória na prova coube a Meikon Kawakami, irmão e companheiro de equipe de Ton. O pódio do GP Lubrax contou ainda com Diogo Moreira, companheiro de equipe de David, e Rafael Traldi, da Motonil Motors-PDV Brasil/Usatec BSB Team.

 

David obteve o título após quatro vitórias, um segundo e dois quintos lugares – ele finalizou a etapa curitibana em sexto e herdou a quinta posição a partir da desclassificação do companheiro de equipe José Duarte, punido pelo toque que causou a queda de Kawakami. “Foi pena a queda do Ton, a disputa estava intensa e o fim de campeonato seria bem mais bonito com ele na pista. Foi uma corrida difícil, estou feliz demais por ter chegado até aqui”, falou.

Meikon Kawakami obteve em Curitiba a única vitória de 2015. “Estou contente pelo resultado, mas chateado por perdermos o título”, declarou, sobre o incidente de seu irmão. O segundo lugar foi o melhor resultado de Moreira. “Liderei, fiquei nervoso na última volta, mas foi um bom desempenho”, disse. Traldi repetiu a terceira posição da primeira etapa. “Um piloto quase me jogou para fora da pista, mas consegui voltar e buscar o pódio”, resumiu.

O título de Brian David é o primeiro da Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros na GPR 250. Em 2013, ano em que o Moto 1000 GP implantou a categoria de formação de pilotos, o gaúcho Pedro Sampaio tornou-se campeão brasileiro pela equipe Fábio Loko. Meikon Kawakami, vice-campeão de 2013, chegou ao título do ano passado defendendo a Playstation-PRT. David somou 151 pontos, contra 144 de Kawakami e 105 de Guilherme Brito, o terceiro.