Seguro e moderno, o SH 150i enfrenta o consagrado PCX, o mais vendido do segmento.
 
 
Quem busca um scooter urbano para driblar o trânsito e economizar pode ficar em dúvida entre o PCX e SH 150i. Os dois scooters fabricados pela Honda têm como pontos fortes a praticidade e o baixo consumo de combustível.
 
Com visual clássico, típico dos scooters europeus, o SH custa R$ 12.450. Já o PCX tem preço inicial de R$ 10.500 e segue um design mais comum na Ásia. Os modelos têm o mesmo motor e câmbio automático (CVT), porém há diferenças que, no uso diário, podem trazer alegrias ou transformar a escolha numa decepção. Confira.
 
 

 
Desempenho
Ambos são equipados com o mesmo motor de um cilindro, 149,3 cc, com refrigeração líquida. O fabricante declara que a potência do SH 150 é maior: 14,7 cv contra os 13,1 cv do PCX. Na prática, nota-se que o SH é mais esperto na arrancada, mas em velocidade de cruzeiro os dois chegam a 115 km/h – no velocímetro.
 
Além de maior potência, o SH também tem mais torque 1,4 kgf.m contra os 1,36 do PCX, por isso ele é mais “esperto” nas saídas e retomadas. O piloto notará a diferença se transportar garupa e encarar ladeiras, situações nas quais o SH se mostra mais eficiente.
 
 
Longe do posto
Os dois modelos são abastecidos somente com gasolina e têm como destaque o baixo consumo de combustível. Em nossas medições superaram com facilidade os 35 km/litro e podem até passar de 40 km/litro, se o piloto for comedido nas acelerações.
 
O tanque de combustível do PCX é maior – capacidade para oito litros – e o acesso é feito pelo túnel central. Muito mais prático do que o SH 150, que é necessário levantar o banco para abastecer o tanque de 7,5 litros. A autonomia de ambos é superior aos 250 km. Dependendo, é claro, da forma como são pilotados.
 
 
Freios
A grande vantagem do SH 150i é o sistema ABS, que impede o travamento das rodas nas frenagens de emergência. Além disso, o modelo usa freio a disco nas duas rodas. Já o PCX tem disco apenas na dianteira, pois a traseira usa tambor.
 
Em compensação, o PCX oferece freios combinados (CBS), isto é, sempre que se pressiona o freio traseiro o sistema também atua na dianteira. O CBS auxilia os iniciantes que ainda não conseguem dosar a força dos manetes ou têm medo de usar o freio dianteiro. Mas, no quesito segurança, o sistema de freios ABS (antitravamento) é superior ao CBS (combinado).
 
 

 
Questão de Espaço
Quem precisa transportar objetos pode contar com o maior espaço sob o banco no PCX. Com limite de carga de 10 kg, é possível acomodar um capacete fechado e ainda sobra lugar para outros pertences, como uma capa chuva. Já no SH 150i a capacidade de peso é mesma (10 kg), porém o espaço é menor e comporta apenas o capacete.
 
Ambos oferecem porta luvas atrás do escudo, no caso do PCX tem maior capacidade e suporta o peso de até 1 kg, no SH é menor com capacidade para 0,5 kg. Ambos oferecem tomadas 12V, que pode carregar um smartphone, por exemplo. O SH oferece ainda um prático gancho (que suporta até 1,5 kg) para prender uma bolsa ou sacola apoiado no assoalho plano. Já no PCX não há gancho e o túnel central impossibilita transportar objetos.
 
 
Rodas
O SH 150i tem rodas de liga-leve de 16 polegadas, que oferecem maior estabilidade em retas e enfrentam melhor as ondulações do asfalto paulistano. O scooter de roda grande da Honda também se mostrou mais ágil nas mudanças de direção, e seus pneus mais largos transmitem mais segurança nas curvas e nas frenagens.
 
Equipado com rodas de 14 polegadas, o PCX exige mais cautela ao trafegar por ruas esburacadas ou em pavimentos de pedras, como paralelepípedos, por exemplo. Infelizmente, quem precisar enfrentar esses locais terá problemas com qualquer tipo de scooter. Mas, comparando ambos, o PCX “sofre” mais com o piso ruim.
 
 
Posição de pilotagem
Esta talvez seja uma das maiores diferenças entre os dois scooters Honda e acaba refletindo no conforto. No PCX, o piloto vai sentado como se estivesse num sofá, com as pernas esticadas ou dobradas, à escolha do piloto.
 
Já no SH, o piloto vai posicionado como se estivesse em uma cadeira. É preciso se acostumar com a postura ereta, pois os pés ficam encaixados na plataforma central e não podem mudar de posição. Com isso, em trajetos mais longos, o piloto se cansa mais no SH 150i.
 
 
Peso e maneabilidade
Com 125 kg (peso a seco) e assento a 761 mm do solo, o PCX é mais fácil de manobrar e estacionar. Os mais baixos conseguem apoiar os pés no chão com facilidade. A posição do tanque no túnel central também influencia, já que reduz o centro de gravidade e garante mais confiança aos iniciantes.
 
No caso do SH 150i o banco está a 799 mm do solo e seu centro de gravidade é mais elevado. Tal característica exige mais cuidado para controlar o scooter ao manobrar em baixa velocidade. Entretanto, os pilotos mais altos ficarão mais à vontade no SH por conta da altura do banco e do seu porte.
 
 
Chave na mão
Uma das grandes comodidades do SH 150i é o Smart Key, um chaveiro de presença que funciona como chave de ignição e também alarme de localização. Para girar o contato, destravar o guidão ou abrir o banco é necessário que o chaveiro esteja próximo ao veículo.
 
O chaveiro funciona também como controle remoto das luzes de seta. Isso serve para localizar o scooter em meio a outras motos ou acionar as lâmpadas para avisar aos curiosos que o dono do SH 150i está por perto. No PCX não há essa facilidade, pois a chave é convencional.
 
 
Parou, desligou
Ambos usam iluminação por LED no farol, lanternas e luzes de posição. Mas, no PCX, os piscas e a luz de placa utilizam lâmpadas halógenas (comuns). Os dois scooters têm um simples, porém útil, computador de bordo que informa consumo médio e instantâneo no painel.
 
Em comum, eles também são equipados com o sistema Idling Stop. Sempre que o scooter estiver parado por mais de três segundos, o motor é desligado. Para voltar a rodar, basta acelerar que o motor entra em funcionamento. Segundo a Honda, quando está em funcionamento (pode ser desativado) o sistema proporciona uma economia de até 7% de combustível.
 
 
Conclusão
Os dois scooters atendem às necessidades de quem procura um veículo fácil de pilotar e econômico para os deslocamentos diários. A diferença de preço entre o PCX (R$ 10.500) e o SH 150i (R$ 12.450) é de pouco mais de 15%.
 
A escolha ficará por conta do gosto pessoal, da conta bancária e das peculiaridades de cada um. Como as rodas grandes, a chave de presença (Smart Key) e o freio ABS do SH; ou o maior espaço disponível e a facilidade de pilotagem do PCX.
 
 
TEXTO: Cicero Lima/ Agência INFOMOTO
FOTOS: Divulgação