sampafotos-2508

Texto: Divulgação/Moto 1000 GP
Foto: Luciano Sampaio/Fotografia Sampafotos

 

Diego Pierluigi manteve neste domingo (27) a meta de conquista do título máximo do Moto 1000 GP. O piloto argentino conduziu a Kawasaki da JC Racing Team à vitória no GP Goiânia, sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, e reduziu de 48 para 43 pontos sua desvantagem para o francês Matthieu Lussiana, que terminou em segundo. O terceiro colocado no Autódromo Internacional de Goiânia foi outro argentino, Martín Solorza.

Foi a décima vitória de Pierluigi na GP 1000, categoria principal do Moto 1000 GP. Ele retoma, assim, o recorde isolado de primeiros lugares, com um a mais que Lussiana, piloto da BMW Motorrad Petronas Racing. Para Solorza, que compete com a Kawasaki de sua própria equipe, a Solorza Competicion, o terceiro lugar representou o primeiro pódio no campeonato, que terá sequência com a sétima etapa no dia 25 de outubro em Santa Cruz do Sul (RS).

O resultado da corrida no Autódromo Internacional de Goiânia limitou a Lussiana e a Pierluigi as chances matemáticas de conquista do título na quinta temporada de existência do Moto 1000 GP. O terceiro lugar na classificação do campeonato é do português Miguel Praia, que levou a Honda da Center Moto Racing Team ao quinto lugar na corrida, atrás ainda do italiano Sebastiano Zerbo, quarto colocado com a Kawasaki da Target Race Superbike Team.

Na categoria GP 1000 Evo, destinada aos pilotos em fase de evolução de suas carreiras, a vitória foi do paulista Nick Iatauro, do Team Suzuki-PRT, que terminou em oitavo na classificação geral. Em segundo ficou o paranaense Victor Moura, com a Kawasaki da M2B Racing. Eles são líder e vice-líder, com 124 e 101 pontos, respectivamente. O paulista Diego Pretel, da Ducati-DRT, abandonou a prova e está em terceiro na tabela, com 70 pontos.

 

Diego Pierluigi e Matthieu Lussiana Diego Pierluigi e Matthieu Lussiana em disputa intensa no autódromo de Goiânia, ainda pela 3ª Etapa da Moto 1000 GP.

 

A CORRIDA

O destaque da largada ficou por conta de Marco Solorza, que largou em quarto e assumiu a liderança. Philippe Thiriet, décimo colocado no grid, saltou para segundo na reta de partida, posição que perdeu para Diego Pierluigi ainda na primeira volta. No complemento da primeira volta, Pierluigi ultrapassou seu compatriota para reassumir a liderança. Matthieu Lussiana, segundo no grid, perdeu posições no início e fechou a primeira volta em sétimo.

Thiriet perdeu a tangência da curva do Bico de Pato na segunda volta e caiu para sexto. Miguel Praia, Martín Solorza e Matthieu Lussiana fechavam as cinco primeiras posições. Lussiana, ao término da segunda volta, consolidou a dupla ultrapassagem no segundo pelotão para assumir o terceiro lugar, 2s102 atrás de Pierluigi, que fechava a volta mais rápida da prova em 1min24s600; no giro seguinte, Lussiana marcou 1min24s103, a 164,156 km/h de média.

Na sexta volta, Lussiana perdeu o ponto de frenagem numa das curvas do trecho misto do circuito, saiu da pista e perdeu a terceira posição para Praia. Recuperou-a na abertura da oitava volta. O francês reassumiu a vice-liderança poucos instantes depois, quando viu Marco Solorza cometer o mesmo erro que o havia tirado do terceiro lugar. O GP Goiânia chegou à metade com Pierluigi administrando uma vantagem de 4s225 sobre Lussiana.

A segunda metade da prova intensificou, também, a caça à liderança da classe GP 1000 Evo. Nick Iatauro, líder do campeonato nesta categoria, tinha a liderança desde a segunda volta, quando Diego Pretel, da DRT-Ducati, parou com problemas mecânicos. Piloto do Team Suzuki-PRT, Iatauro foi superado por Victor Moura, da M2B Racing, na décima volta, e só retomaria o primeiro lugar na categoria a duas voltas da bandeirada final.

A terceira posição foi conquistada por Sebastiano Zerbo na 12ª volta, quando o italiano valeu-se da queda de rendimento na Honda de Praia para ultrapassá-lo. Faltavam menos de quatro voltas para o fim da corrida quando o italiano cometeu um erro e foi ultrapassado por Martín Solorza – Marco já havia abandonado a corrida na volta número 12. Danilo Lewis e Wesley Gutierrez, brasileiros de melhores colocações, disputavam o sexto lugar.

Na 15ª das 18 voltas, a vantagem do líder Pierluigi sobre Lussiana era de 2s710. Caiu a 2s434 na 16ª e subiu para 3s037 na 17ª e penúltima. Ao fim da disputa, Pierluigi recebeu a bandeirada da vitória pela décima vez no Moto 1000 GP 3s088 à frente do líder do campeonato. Martins Solorza, Sebastiano Zerbo e Miguel Praia completaram o grupo dos cinco primeiros. Gutierrez ficou em sexto, vencendo o duelo brasileiro com Lewis, o sétimo.