Texto: Arthur Caldeira/Agência INFOMOTO
Fotos: Mario Villaescusa/Agência INFOMOTO

 

Apresentada em março, a nova Yamaha MT-03 chega às lojas neste mês com um bom argumento para agradar jovens motociclistas, seu principal público alvo: visual sofisticado e bom acabamento. Inspirada na família MT, a caçula aposta nas mesmas linhas agressivas que fizeram o sucesso de suas irmãs maiores, MT-07 e 09. Entradas de ar nas laterais do tanque, spoiler sob o motor e farol poligonal com duas luzes de posição de LED também conferem à naked bicilíndrica de 321 cc “porte” de moto maior.

Praticamente uma versão sem carenagem da R3, a MT-03 compartilha motor, quadro, suspensões e até mesmo o painel com sua irmã esportiva. A grande diferença está no guidão único, 40 mm mais largo, mas fixado em uma posição mais alta (39 mm) e mais próxima do piloto. Além, é claro, de ter um preço mais em conta: R$ 20.790 para a versão com ABS (R$ 18.790 standard) contra os R$ 22.590 da mini-esportiva com ABS.

 

Motor com caráter

Exceto o visual e preço, os outros ingredientes da receita esportiva estão lá. A começar pelo elástico motor de 321 cm³, duplo comando de válvulas e arrefecimento líquido. Com baixa vibração, apesar de sua arquitetura de dois cilindros paralelos, o motor tem mais caráter do que a fria analise dos números de desempenho fazem supor. O torque máximo de 3,02 kgf.m só aparece a 9.000 rpm e a excelente potência máxima de 42 cv, apenas a 10.750 rpm. Valores que passam a falsa impressão de um motor que só funciona em altos giros, mas que, na prática, já tem força a partir de 3.000 giros sem assustar os iniciantes.

Entretanto, não provoque a fera: acima de 7.000 rpm, o bicilíndrico emite um agradável assobio e empurra pra valer até que a shift-light do painel acenda a 11.000 giros pedindo outra marcha no câmbio de seis velocidades. Essa elasticidade, com fôlego em baixos regimes e bom desempenho nas rotações mais altas, faz dele um motor com caráter e divertido de pilotar.

O bom desempenho do compacto bicilíndrico cobra seu preço no consumo. Não espere médias como as da Yamaha Fazer 250 ou da Honda CB Twister: o consumo da MT-03 variou entre 18 e 22 km/litro.

 

 

Pé no chão

Assim como o motor, o conjunto ciclístico da nova MT-03 foi herdado da R3. Quadro tubular em aço e suspensões acertadas garantem estabilidade em velocidades mais altas e boa absorção dos impactos na cidade – mas, a exemplo de outras nakeds, ela sofre em ruas mais esburacadas.

Porém, a Yamaha acrescentou um novo ingrediente à receita: o novo guidão mais largo e alto. Com isso, as costas ficam mais eretas, mas as pedaleiras são levemente recuadas. O banco, apesar de largo e confortável em viagens curtas, é estreito na sua parte posterior o que incomoda depois de 200 km na estrada.

Outro detalhe que faz da MT-03 uma boa opção para os deslocamentos diários é a altura de 780 mm do assento: até mesmo os pilotos mais baixos conseguem apoiar os dois pés no chão com facilidade. A boa ergonomia também contribui em manobras de baixa velocidade ou para costurar o trânsito na cidade.

Os freios merecem destaque: na dianteira, disco de 298 mm com pinça dupla, enquanto na traseira, disco de 220 mm com pinça simples. Diferentemente de outras motos Yamaha, o sistema oferece frenagens precisas e eficazes, ainda mais na versão avaliada, que vem com freios ABS nas duas rodas.

 

 

Categoria acima

A MT-03 atrai olhares nas ruas, mas ainda é confundida com uma nova versão da antiga MT-03, equipada com o monocilíndrico da XT 660R. Vale ressaltar que esta nova naked não tem nada a ver com o modelo vendido aqui entre 2007 e 2008.

Esse problema fica para o departamento de marketing mundial da Yamaha resolver, pois a MT-03 também foi projetada para outros mercados, como Europa e Estados Unidos. Mas essa confusão reforça a impressão de que a “nova” MT-03 aparenta ser uma moto maior, apesar dos 321 cm³ do seu motor.

Embora seja concorrente direta de modelos como a Kawasaki Z 300, vendida a R$ 18.990 (R$ 20.990 com ABS), e a KTM Duke 390, tabelada a R$ 21.990 com ABS de série, o visual atraente e os bons 42 cavalos de potência colocam a MT-03 na briga em uma categoria acima da sua.

Enfrentando motos maiores, como a Honda CB 500F, que tem motor de 471 cm³ e 50,4 cv e parte de R$ 23.053 sem ABS.